quinta-feira, 23 de setembro de 2010

curiosidades interessantes

Houve muitas empresas que foram pioneiras em introdução de alguns modelos, o Comil Svelto rodou pela primeira vez fixo na Sandra, depois outras empresas compraram, mas não fez sucesso, em sua versão, mas popular em BH, o geração III, até a Zurick tem deles rodando na 1502 (fotos na seção comil em BH nesse blog) se não saíram de linha, no entanto um dos modelos de mais sucesso em BH não tem, em sua maioria, unidades compradas zero km, o famoso ciferal Gls bus. Isso une duas empresas muito diferentes, a expresso Luziense e a auto viação pioneira, pois elas trouxeram o gls bus com motor dianteiro na mesma época, o VW somente a pioneira trouxe, mas o MBB 1418 e 1618 da Luziense era brutal, eu não me recordo quantos vieram pra pioneira, mas sei que na Luziense foram cinco VW 16180, A269, 307 e 308 (que foi vendido depois de um grave acidente com seis meses de uso), 483 e 484, e os MB foram A323, 387, 388, 433, e A 434 e o melhor de todos, aquele que merece todas as honras o A558, que subia a ladeira do Hospital Belo Horizonte as cinco da manhã de quinta marcha e gritando,eu era cobrador nesse carro em 2001, alem de mais quatro na expresso Santa Luzia. Sendo que os MB e o A269 ter minaram seus dias na 2240A e B, menos o A433 que acabou no 5516A e o 434 que desde a sua chegada ficou no 2241B. Desde então todos os ciferais dianteiros, VW ou MBB chegaram do Rio de Janeiro e de outros Estados, mas zero km, esses foram os primeiros, veja e comente.



domingo, 19 de setembro de 2010

Ônibus com história pra contar

Eu tenho 27 anos e desde muito novo eu andava de ônibus em BH, minha grande paixão foi e sempre será a Avenida Amazonas, a qual eu passava pra ir ao PAM Campos Sales no Gameleira, andar nos Thamco Aguia MBB da 6001 era o maximo, mas ver e ouvir o barulho de um Amélia Volvo B58, ou de um Vitória da Torres ou da Santa Edwiges era tudo pra mim. chegava a chorar pra ir pra avenida Amazonas, mas as vezes minha mãe preferia andar de 6001 e descer na porta do que pegar o 1504 e descer na Avenida e andar a pé. por isso fiz ese desenho ai, de um Amélia I volvo da 1504, todos os desenhos não lembram em nada o nosso amélia, pois ele tinha as portas abrindo pelas laterais, era de duas portas e tinha dois modelos, o amélia I, que é esse e o Amelia II, frisado e com dois pares de lanternas na trazeira.


espero que gostem:

domingo, 5 de setembro de 2010

se não tem foto...a gente desenha... parte II












as varias faces de um ônibus

A trajetória de um belíssimo Caio Alpha





Ele chegou na segunda metade dos anos 1990, semelhante ao do desenho, um modelo mais antigo, comprado para fazer o itinerário noturno da linha 2206


Ele foi mimado e cuidado, ate que um dia o DER entrou em cena e mandou que a Transbus melhorasse a sua frota e retirasse os veículos mais antigos, que incluíam alguns caio Amélia e Marcopolo Torino LN 1989, eis que nosso valente companheiro ganhou nova pintura






Até que a BHtrans entra em cena e manda que da linha 2234 fossem retirados três maquinas de cortar o coração 6244, 5115 e 5120, maldita BHtrans e nosso amigo que era A337 depois B298 agora se transforma em:





Ai ocorre uma coisa inesperada, na ganância o grupo Rodap troca duas linhas por uma deu a 5517 e a 2212C pela 1207 A, ruim mesmo só pra quem mora no Betânia. eis que nosso amigo ganha suas ultimas cores

E hoje se eu não estou certo ele ainda está circulando, esse remanejamento de ônibus é constante, um exemplo disso são os veículos 9840 e 9767 da Rodap, um deles está na 4100 Santa Luzia BH mas da somente duas viagens ao dia.